domingo, 14 de fevereiro de 2016

Relato do I Encontro de Rede CSA Brasil 2016

I Encontro de Rede CSA Brasil 2016
23 e 24 janeiro – EMEF Desembargador Amorin Lima – Butantã


Dia 23 – sábado

CSA e pesquisa acadêmica

- CSA Boituva e Tatuí – Kelly Cristina Bombem
Mapeamento das famílias: quem são? Nível socio-econômico, escolar?  O que buscam na CSA?
Análise dos perfis.
Contam com 38 coprodutores
Foco: cuidar do agricultor.

-CSA São Carlos – Flávia Torunsky e agricultora Dina
http://www.csasaocarlos.com.br/
POSSIBILIDADES INCALCULÁVEIS
Desde 2013. Começou com 33 coprodutores.
Hoje - 60 coprodutores + 16 bolsistas = 76 famílias
Cota solidária: paga quem pode
Moeda social: bolsista trabalha na roça 4 horas por semana: recebe uma cota por mês.
Construíram uma câmara para manutenção da temperatura, de pau-a-pique, sem maquinário. Tecnologia antiga e de baixíssimo custo.

Dina deu um depoimento emocionada, pois segundo ela, os coprodutores estavam garantindo o cuidado na lavoura para que ela estivesse presente nesse encontro no fim de semana.

-CSA ABC – agricultura urbana no ABC – Victor Dimitrrov
Agricultura urbana no ABC, Santo André e o processo de transição agroecológica das hortas urbanas.
Iniciou com uma Cooperativa de Compras Coletivas, com quase 1000 famílias. Contam com 150 variedades de hortaliças.


CSA e empreendedorismo social

-CSA Brasília – Renata Navega
Desde março 2015
3 CSA em Brasília: CSA Barbetta, CSA Altiplano e CSA Toca da Coruja.
Equipe de apoio estruturada. Não têm interesse em crescimento rápido. Revezamento na coordenação de 6 meses. Todos voluntários.

-CSA Belo Horizonte – Júlio Cesar Bernardes
Desde janeiro 2015 - 34 coprodutores 180 pessoas na lista de espera
Teve uma procura muito grande, porém sem muita estrutura operacional.
Comunicação/divulgação principalmente pela internet.

-CSA Rio de Janeiro – Vitor Piranda e Eduardo Boorhen (Clube Orgânico)
Desde abril 2015 – 280 coprodutores 2 produtores
Pessoal de apoio recebe uma remuneração
Estruturado em Consultoria agrícola, vendas, marketing, logística e relacionamento com “clientes”.


CSA e agricultura e pedagogia

-CSA Micael SP – Rogério e Maria Cristina Produtora e mãe
Desde 2014 dentro da comunidade escolar – Colégio Waldorf Micael de SP. Desenvolve atividades em conjunto com os professores. Visitas não regulares.

-CSA Curitiba – André Garcia e Raquel Makibara
Desde julho 2015 – 3 agricultores e 20 famílias.
Em dezembro 2015 – foi desmembrado em 2 CSAs: CSA Sítio São Carlos – comunidade escolar Turmalina, com aproximadamente 40 coprodutores e CSA Terra Viva Verde Orgânico, com aproximadamente 40 coprodutores de 3 pontos de distribuição nos bairros da Água Verde, Jardim Ambiental e Santa Felicidade.

-CSA Demétria -  Carlos Lira
Desde 2012 – 400 famílias localizadas em Botucatu, Bauru, Ourinhos e São Paulo.


---------♫----------

O almoço/jantar foi servido em um ponto de encontro chamado Piparia, localizado no mesmo bairro. O valor da contribuição variava de R$ 18,00 a R$ 25,00/pessoa.


Cada pessoa contribuiu voluntariamente com o que pudesse e também era convidado a auxiliar na limpeza. A ideia é que cada um, pelo menos, lavasse seu prato e talheres.




Dia 24 – domingo


No domingo começamos com a Palestra do Hermann Polhmann. Hermann contou sua trajetória no Brasil e como foi árdua a sua busca pelo começo de uma CSA. Depois de um ano procurando o agricultor que aceitasse a proposta, finalmente encontrou com o Marcelo, no bairro da Demétria, 
em Botucatu, São Paulo. Existia muita empolgação e pouco compromisso entre os interessados em potencial. A CSA foi crescendo e logo haviam outros depósitos de alimentos, como Ourinhos e Bauru. Mais tarde e depois muitos encontros, Vagner Santos aceitou o convite 
para cuidar da parte financeira da CSA Demétria, em Bauru.

Eles dois falaram do I Encontro Internacional  de CSA’s na China. Lá existem 20 milhões de membros em CSA. Neste evento percebeu-se que no Brasil o enfoque é mais na pessoa do agricultor e que há mais proximidade com a ideia de Economia Associativa, 
fruto da Antropologia Antroposófica.
 O próximo encontro Internacional de CSA’s acontecerá em 2018.

Com a rápida expansão das CSAs, hoje se vê a necessidade de se formar formadores de CSA. 
Para isso se foi estruturado um curso que terá o seu início em 2017. 
Será em caráter Latu Sensu, com 360 horas, 
em sete semanas, totalizando 18 meses de duração.

Depois tivemos uma apresentação da psicoterapeuta Raquel Wrona, 
“Comunidade e abordagem Centrada na Pessoa”. 
Trouxe abordagem de diversos autores que tratam dos estudo das conexões sociais. 
 Comunidades se formam a partir da Empatia e da Aceitação entre as pessoas. 
Construir uma comunidade é um atributo do coração. 
Ela trouxe também um poema de Clarice Lispector, que colocamos abaixo.

Fizemos uma dinâmica de grupos para se tecer uma rede CSA 
e ficar visível os personagens principais trazidos por cada grupo. 
Agricultor, Coagricultores, Rede CSA, Comunicação, Estrutura física, 
Equipe de apoio foram um dos nomes citados. 
Sendo evidente a importância da correlação entre todos esses personagens.




Submissão ao Processo

“O processo de viver é feito de erros – a maioria essenciais –

de coragem e preguiça, desespero e esperança de vegetativa atenção,

de sentimento constante (não pensamento) que não conduz a nada,

não conduz nada,

e de repente aquilo que se pensou que era “nada”

- era o próprio assustador contato com a tessitura do viver –

e esse instante de reconhecimento (igual a uma revelação)

precisa ser recebido com a maior inocência, com a inocência de que se é feito.

O processo é difícil?

Mas como chamar de difícil o modo extremamente caprichoso e natural como uma flor é feita.”

"Submissão ao processo", crônica publicada em 20.01.73. In:"A descoberta do mundo"
Clarice Lispector



Nenhum comentário:

Postar um comentário